0

O Mausoléu.

O mausoléu
-Ei seus idiotas, o portão está aberto, vamos entrar e dar uma voltinha, ver alguns perdidos por aí. Disse Lucas sorrindo para Miguel e Carlos.
-Ótima idéia Lucas. Aclamou Carlos com aprovação.
-Acho que não é uma boa idéia, já é de madrugada. Disse Miguel receoso.
-Ah coitadinho, está com medinho é? Disseram Lucas e Carlos zombando de Miguel.
-Bom, eu avisei, mas como vocês são teimosos, vamos.
E lá se foram os três, adentrando o portão do cemitério que, como tantos outros por aí guardava seus segredos a sete palmos.
Andaram por quase todos os pontos sombrios, e vez e outra Lucas e Carlos davam sustos em Miguel, que se assustava facilmente, e que a cada passo se tornava cada vez mais taciturno.
-Não deveríamos estar aqui, ainda me lembro da morte daqueles homens no mausoléu da família Trench, não sei por que, mas acho que isso não vai acabar bem.
Acabando de ouvir o comentário de Miguel, todos os três ouviram um barulho de algo se quebrando e logo após uma coruja piando.
-Uau! Se nós acreditássemos nisso, disse Lucas entusiasmado, agora teríamos borrado nossas calças!
Carlos gargalhou acenando a cabeça concordando com o amigo.
Caminharam mais um pouco, se embrenhando cada vez mais a parte antiga do cemitério, onde havia estatuas de anjos caídos, demônios, madonas e crianças chorando, todos muito velhos...
De repente Lucas sente uma mão passar em seu pescoço, tão leve que todos os pelos de seu corpo se arrepiam.
-Carlos! Seu imbecil pare de passar essas sua mão gelada em meu pescoço!
-Tá ficando louco Lucas! Não fiz nada, eu hein!
-Viu eu disse que aqui acontecem coisas muito estranhas. Disse Miguel amedrontado.
-Não me venha com essas histórias bestas, como você é supersticioso Miguel, credo! Falou Lucas indignado.
Os amigos continuaram a caminhar e a discutir calorosamente, indo cada vez mais em direção ao fundo do cemitério.
-Nossa! Exclamou Carlos espantado. Pensei ter visto uma mulher sentada no banco!
-Eu hein, que doidera cara! Falou Lucas zombando da cara do amigo.
-Você é... Lucas foi interrompido por Miguel.
-Olhem o mausoléu Trench! Apontou Miguel.
-Genial cara! Vamos lá ver!Entraram no  mausoléu e observaram,os objetos antigos que ali haviam,em especiais as urnas de vidro com os restos mortais visíveis.
-Caras eu não gosto daqui, não tenho um pressentimento muito bom, mas esse local me atrai de um jeito que não sei explicar. Disse Miguel encantado e aterrorizado ao mesmo tempo.
-Nossa como isso é velho! E feio! Exclamou Carlos.
-Espero que pelo menos eu continue linda, não é rapazes?
Os três amigos se viraram e se depararam com a mulher mais bela que já tinham visto, um anjo de cabelos cacheados loiros, corpo sinuoso e uma voz rouca e sensual.
Caminhavam para perto daquela aparição enfeitiçados pela sua beleza sobrenatural, se aproximavam cada vez mais.
Até que um deles esbarrou em um vaso e o derrubou no chão,fazendo com que o barulho,os despertasse.
Assim que despertaram do transe Lucas e Carlos gritaram como loucos ao ver aquela criatura pútrida e putrefata, sorrindo diabolicamente para eles.
Tentaram acordar Miguel do transe, mas não conseguiram,vendo impotentes que o amigo se aproximava cada vez mais daquela monstruosidade.
-Vamos buscar ajuda, alguém deve saber o que fazer, temos de salvar o Miguel.
E saíram desesperados em busca de ajuda.
-Você é um anjo tão lindo, tão doce, foi feita para mim. Dizia Miguel preso ao encanto daquela linda criatura.
-E você é o amor que tanto esperei, meu querido, agora poderemos ficar juntos pela eternidade, sem que ninguém nos separe novamente,meu amor.Agora serei toda sua...
A bela mulher desceu as alças de sua camisola branca e ficando nua, estendeu seus braços para Miguel que a envolveu em um abraço...
Carlos e Lucas voltaram um tempo depois com o coveiro, mas já era muito tarde.
Encontraram Miguel sem roupas, abraçado sem vida aos restos putrefatos do cadáver do fantasma.
-Acho que agora a Verônica conseguiu voltar para casa, finalmente ela encontrou o noivo. Disse o coveiro não acreditando no que seus olhos viam.
-Que noivo? Perguntaram Carlos e Lucas chorando amedrontados.
-Ora, o noivo que foi morto na frente dela, ela se suicidou e jurou que um dia eles ficariam juntos, mas o corpo dele nunca foi encontrado, vocês não viram os retratos nas urnas?
Lucas e Carlos se aproximaram dos retratos da família Trench, e sentiram suas espinhas gelarem.
Miguel era a cara do noivo desaparecido da falecida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Copyright © 2012 - Betto wert.contos e fatos de terror. |
Design by Betto wert | Tecnologia do Blogger | Contos de Terror - Lendas Urbanas - Fatos Reais - Vídeos Reais | Filmes - online
    Twitter Facebook Google + YouTube